_QUAL O SEU NOME?

 

_AUGUSTE.

_SOBRENOME?

 

_AUGUSTE.

_QUAL O NOME DO SEU MARIDO?

 

_EU ACHO QUE... AUGUSTE.

00:00 / 02:40

DIÁLOGO ENTRE DR. ALZHEIMER E AUGUSTE DETER

A doença de Alzheimer foi descrita pelo psiquiatra e neuropatologista alemão, Alois Alzheimer [1864 - 1915], no 37º Encontro de Psiquiatras do Sudoeste da Alemanha, realizado em Tübingen, em 1906. Sob o título ‘Über eine eigenartige Erkrankung der Hirnrinde’ [’Sobre uma doença peculiar do córtex cerebral’], o estudo relatou o caso de Auguste Deter [1850 - 1906], paciente internada, em 1901, no Hospital Psiquiátrico de Frankfurt, popularmente conhecido como Castelo dos Insanos. Os sintomas iniciais incluíam delírios de ciúme em relação ao marido, alterações de comportamento e comprometimento de memória.

 

Auguste Deter foi assistida pelo Dr. Alzheimer até 1903, quando o médico se transferiu, a convite de Emil Kraepelin [1856-1926], um dos psiquiatras alemães mais conhecidos da época, para a Clínica Psiquiátrica Real, em Munique, hoje Instituto Max-Planck de Psiquiatria. O prontuário médico, encontrado décadas depois, em 1996, nos porões da Universidade de Munique, revela diálogos entre médico e paciente.

Após sua transferência, mesmo à distância, Dr. Alzheimer acompanhou a progressão e o agravamento da doença. Em 1904, Deter adquiriu posição fetal, incontinência urinária e emudeceu. Faleceu em 1905, antes de completar 56 anos de idade.

Após a morte de Deter, Dr. Alzheimer recebeu autorização para examinar o cérebro da paciente. A análise anatomopatológica revelou atrofia cerebral com sinais de deposições anormais de proteína denominadas placas senis e emaranhados neurofibrilares. O estudo forneceu indicadores clínicos e neuropatológicos de um novo tipo de demência, posteriormente batizada, por Kraepelin, como ‘doença de Alzheimer’.