_Oqli

 

Com o objetivo de celebrar a importância da leitura como instrumento de transformação, convidamos quem admiramos para compartilhar suas fontes de inspiração e conhecimento.

 

 

Gustavot Diaz

Pintor, desenhista e escritor

 

"Ilusões Perdidas, de Honoré de Balzac. Esta obra-prima de Balzac me cativou na adolescência. Mais tarde, quando voltei a ela, descobri que um pouco dela estava em muitas escolhas que eu fizera até então - minhas concepções sobre arte, sobre o caráter, e especialmente sobre o amor. Tornei-me outro depois de lê-la. Acredito ser uma das obras mais sublimes já escritas.

O Vermelho e o Negro, de Stendhal. Esse é um livro que, embora enorme, vicia imediatamente: não dá pra parar de ler! Já o li muitas vezes por puro prazer estético, e tento resistir a outras... Como a vida de Stendhal, suas obras são uma aventura arrebatadora, onde tomamos partido dos personagens, amamos com seus amores e choramos sua perda da primeira à última página.

Guerra e Paz, de Liev Tolstoi. A impressão que tenho é que na adolescência, entrei nesta obra para sair um homem feito: Tolstoi nos informa, com altíssima qualidade literária, a relação ética de um ser para com seus semelhantes. Quando o reli, posso dizer sem dúvida que o livro me tirou de uma depressão, me fez sentir novamente alegria de viver."

 

~

 

 

Rafael Soares

Sócio e Diretor de Conteúdo do ScienceBlogs Brasil

 

"O Filósofo Ignorante, Voltaire. Foi o cinzel que abriu minha cabeça para sempre aos 15 anos, me mostrando que tudo deve ser questionado, digerido e discutido para além do senso comum e primeiras impressões. Não é a melhor filosofia que já li, mas a primeira, me mostrando que o mundo é fabuloso, mas não é puro, e que temos que entender com pragmatismo. Nunca reli, e posso estar idealizando demais o livro, mas enfim, o importante foi a marca deixada. A porta aberta.

 

Fundação, Isaac Asimov. Ponha uma ideia na mão de Asimov e ele a estenderá ao limite mais extremo, nos colocando em uma realidade que nos fará refletir sobre nós mesmos. A Psico-história, capaz de prever o comportamento da sociedade humana, me fez pensar sobre os limites da ciência, o papel do cientista na política, e como uma ciência pode definir o futuro da humanidade, tanto para o bem, como para o mal. Mas a tática de estender uma ideia para além do limite foi a lição maior de Asimov. 

 

Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis. Acidez, amargor, cinismo e humor em equilíbrio perfeito. Tentar descrever esta obra prima é desmerecê-la. Apenas faço uma reverência e paro por aqui."

 

~

 

 

Rage

Artista visual, designer e músico

 

"A Arte da Felicidade, Dalai Lama. Me ajuda muito a ter uma mente flexível e compreensiva.
 

Viagem por um Mar Desconhecido, J. Krishnamurti. Um mergulho ainda mais fundo na complexidade da mente humana.

 

O Guia do Mochileiro das Galáxias, Douglas Adams. Mostra claramente a grande piada que é este universo."

 

~

 

 

Eduardo Srur

Artista visual

 

"Biblia, sem preconceitos para transcender o poderoso simbolismo do livro mais lido no mundo.

O Poder do Mito, Joseph Campbell - para superar a iniciação do livro anterior e romper as fronteiras entre religiões e crenças em busca do próprio caminho.

As Vidas dos Artistas, Calvin Tomkins - para desmistificar a figura do artista como entidade superior. Conta, de forma clara e inteligente, como grandes artistas contemporâneos chegaram lá."

 

 

~

 

 

Néle Azevedo

Artista plástica e pesquisadora

 

"Crime e Castigo, de Dostoiévski - li aos 14 anos. Tão marcante que dividiu a vida em antes e depois de Crime e Castigo.

A Paixão Segundo G.H, A Hora da Estrela e Laços de Família. Na literatura de Clarisse Lispector encontrei uma forma de revelação daquilo que eu não sabia ser possível estar contido na escrita - a mais profunda sensibilidade vista/escrita por uma mulher.

O Rei se Inclina e Mata, Herta Müller - descoberta de dois anos atrás. Paixão à primeira leitura! Prosa poética da melhor qualidade, implicação política e literária como nunca havia visto."

 

~


 

Criola

Artista urbana

 

"Mulheres que Correm com Lobos, de Clarissa Pinkola Estés. Um livro que aborda o sagrado feminino e o arquétipo da mulher selvagem.  

 

Quarto de Despejo - Diário de uma Favelada, de Carolina Maria de Jesus. O diário de uma catadora de lixo.

 

Meu Corpo é um Esconderijo, de Mariana de Matos."

 

~

 

 

Bruno Martini

Oceanógrafo, Mestre em Dinâmica de Sistemas Costeiros e Oceânicos

"O Gene Egoísta, de Richard Dawkins. Obra revolucionária para a autocompreensão humana e da vida.

Subliminar: Como o Inconsciente Influencia Nossas Vidas, de Leonard Mlodinow. Essencial para conhecer as limitações e enganos da mente humana e aprimorar a própria consciência.

Hiperespaço: Uma Odisseia Científica Através de Universos Paralelos, Empenamentos do Tempo e a Décima Dimensão, de Michio Kaku. Um dos melhores livros para se compreender alguns do maiores mistérios do Universo de forma simples e divertida."

 

~

 

 

Diego Max

Designer gráfico, artista plástico, músico e produtor musical

 

"A Cidade dos Asfixiados, de Regis Messac. Encontrei esse livro em um sebo e conta sobre uma pessoa do século XX projetada no espaço-tempo que vai parar numa cidade crepuscular e sufocante. Pra quem gosta de Huxley, van Vogt, Wells, é sensacional.

Jazz: Uma História em Quatro Tempos. Encontrei num sebo antigo na Rua Estados Unidos em São Paulo. Esse livro me acompanha sempre! Tudo que alguém precisa saber sobre a música negra vinda das margens barrentas do Mississipi, Roberto Muggiati explica como ninguém.

Eu iria recomendar qualquer livro do Isaac Asimov, mas não poderia deixar de falar sobre um dos mais importantes na minha formação: Cosmos, do genial Carl Sagan. O vinil é demais também. Altissimamente recomendado!"

 

~

 

Talitha Andrade

Artista urbana e ativista cultural

 

"Acasos e Criação Artística, de Fayga Ostrower. Foi transformador e impactante perceber e reconhecer os processos criativos como forma de uma complexa cadeia de eventualidades em busca de uma síntese de um pensamento sensível, que envolve muitos sentidos, principalmente o inconsciente e perceber que os acasos não são tão acasos assim. Foi o livro que me inspirou a criar e mergulhar de cabeça no universo da arte.

 

Cartas a um Jovem Poeta, de Rainer Maria Rilke. Foi uma bela descoberta e muito me preencheu, nos conselhos de Rilke ao jovem poeta sobre arte e a necessidade de criar. O lidar com a solidão de maneira plena e rica.

 

O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir. UAU!!!!! Empoderamento feminino!!!!! Buscar o protagonismo em minha vida e compreender toda uma lógica cultural de construção e de subjugamento de gênero feminino frente ao masculino. Cruel perceber tudo isso, mas transformador." 

 

~

 

 

Maria Inês Machado
Coordenadora do Ateliê Laboratório Experimental em Fotomicrografia e Professora aposentada da Universidade Federal de Uberlândia

 

"A Sexta Extinção - Uma História Não Natural, de Elizabeth Kolbert. Com um texto afirmativo, envolvente e fundamentado após extensa e minuciosa pesquisa, a autora nos explica como e porque alteramos o planeta de forma devastadora.

A Espiral da Morte, de Claudio Angelo. O autor demonstra como as alterações do clima impactam a Antártida e o Ártico e as vastas implicações à vida de todo o planeta."

 

~

 

 

Mario Moscatelli

Biólogo, Especialista em Recuperação e Gestão de Ecossistemas Costeiros

 

"O Tao da Física, de Fritjof Capra; A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen, de Eugen Herrigel e A Erva do Diabo, de Carlos Castaneda. Eles me prepararam junto com outros da mesma linha para aquilo que eu iria enfrentar. Destaco que a primeira trilogia de Star Wars e Matrix também têm influência expressiva nos meus pensamentos."

 

~

 

 

Cristiano Siqueira

Ilustrador e designer gráfico

 

"Ponto e Linha Sobre Plano, de Wassily Kandinsky. Estuda a arte a partir dos seus elementos mais básicos. Um dos primeiros livros que li enquanto era estudante de artes e que me fez perceber e pensar a arte de uma maneira totalmente diferente. Até hoje influencia o meu trabalho.

Uma Breve História do Tempo, de Stephen Hawking. Mesmo pra quem não é da área da astronomia (como eu), consegue se deliciar com o texto de Stephen Hawking explicando conceitos que de tão fantásticos, chegam ao ponto onde ciência, arte e magia se encontram.

A Metamorfose, de Franz Kafka. Um clássico que leio e releio de tempos em tempos. O melhor texto que explica a condição humana em tempos sombrios."

 

~

 

 

Fábio Q

Artista plástico, gráfico e escritor

 

"O Escaravelho do Diabo, de Lúcia Machado de Almeida. Foi o primeiro livro que li na vida. A coleção Vaga-Lume foi responsável por criar o hábito da leitura em muitas crianças, sem dúvida uma das melhores ações da grade curricular em minha época de colégio. Por uma incrível coincidência, o livro está sendo adptado para o cinema e o meu professor Lourenço Mutarelli está no elenco.

Martin Luther King - Biografia. Essa história, da luta de um povo contra a injustiça e a opressão, influenciou positivamente meu caráter e minha postura social e politica.

O Homem Que Foi Quinta-Feira: Um Pesadelo, de G.K.Chesterton. Narrativa e estética impressionantes do escritor (jornalista, poeta, ensaísta, teólogo, historiador e biógrafo) britânico. Terminei a leitura desse romance com a certeza que eu deveria explorar a escrita tanto quanto explorava a pintura."

 

~

 

 

Eduardo Colli

Professor do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo

 

"Para mim foi marcante O Nome da Rosa, de Umberto Eco, por causa dessa mistura que ele faz do real e da ficção, e porque retrata um período da História cercado de mistérios.

 

Mais recentemente, ler a biografia de Van Gogh, escrita por Steven Naifeh e Gregory White Smith, um calhamaço de mais de mil páginas cheio de referências às cartas que trocou com seu irmão, foi algo que me marcou muito, pois sua trajetória de vida não deixa a dever nada para as melhores tramas de ficção."

 

~

 

 

Fernando Carpaneda

Artista plástico

 

"Todo Sol mais o Espírito Santo, livro do escritor Lima Trindade. Os contos presentes na obra bebem nas fontes do rock anos 80, da literatura marginal, do cinema e das histórias em quadrinhos.

O Melhor da Revista Punk Globe, exelente livro que reúne 38 anos de entrevistas exclusivas com artistas que iniciaram movimentos culturais nos anos 70 e 80. Entre os entrevistados no livro estão: Debbie Harry, Boy George, Joe Dallesandro, Randy Jones, Andy Warhol, Sid Vicious, entre outros.

Beards - An Unshaven History, do escritor Kevin Clarke, autor best-seller de "Porn - de Andy Warhol para X-Tube", mostra-nos a evolução da barda masculina desde a antiguidade até os dias de hoje."

 

~
 

 

José Leon Crochík

Professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo

 

"A Metamorfose, de Kafka. Melhor livro sobre a discriminação contra os que não são mais úteis para o trabalho.

 

No Caminho de Swann, de Marcel Proust. Uma das melhores narrações do amor burguês: o de Swann por Odette.

 

Primeiras Estórias, de João Guimarães Rosa. Os contos Soroco, sua mãe, sua filha, e Nenhum, Nenhuma tratam da magia da vida e da morte, da razão e da desrazão. Lindos e tristes."

 

~

 

 

Angélica Dass

Fotógrafa

 

"O Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna. É um dos meus livros de cabeceira, um grande espelho do que mais humano que temos, de bom e de ruim ;) Quero que em minha lápide esteja escrito este trecho: Cumpriu sua sentença. Encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca do nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados, porque tudo o que é vivo, morre. Genial!"

 

~

 

 

Niéde Guidon

Arqueóloga, Diretora do Parque Nacional Serra da Capivara e Diretora Presidente da Fundação Museu do Homem Americano

 

"Assim que aprendi a ler, comecei a ler os livros de Monteiro Lobado que encantaram toda minha juventude! Minha mãe comprou toda a coleção de livros infantis disponíveis na época! Eu tinha uma grande biblioteca! A lista é enorme, citarei alguns que ainda estão em minha memória: Os 12 trabalhos de Hércules, O Picapau amarelo, Histórias de Tia Nastácia, Memórias da Emília, Narizinho arrebitado, O saci, Jeca Tatuzinho, Viagem ao Céu... Mas acho que já são livros demais!"

         >