OURIÇO DE ZINCO

Nanoestrutura de óxido de zinco

Diversos óxidos metálicos, incluindo o óxido de zinco [ZnO], têm recebido bastante atenção em virtude de suas propriedades mecânicas, elétricas, magnéticas, ópticas e químicas. Com o avanço da nanotecnologia, o interesse maior se concentra no estudo desses compostos em nanoescala e na obtenção de nanoestruturas 1D [nanofios, nanofitas e nanotubos] e 3D [nanoflores e nanoestrelas] para amplas possibilidades de aplicações.


O estudo para compreender as alterações drásticas que as propriedades dos materiais e elementos químicos apresentam em escala nanométrica é essencial para o aproveitamento das novas propriedades, possibilitando manipular átomos e moléculas, construir novas estruturas e materiais, dispositivos tecnológicos com finalidades específicas e miniaturização dos dispositivos para economia de espaço e de energia.

A imagem, obtida por microscopia eletrônica de varredura em pesquisa liderada pelo Professor Marcos Sacilotti [DF/UFPE], revela nanoestrutura de óxido de zinco que se assemelha a um ouriço do mar.

Dyego Maia de Oliveira
Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste