Valerie Patterson

Feminine Mystique?

portfolio

 

 

 

“O senso comum é a crença jamais questionada de que a realidade existe tal como é: as cores, os sons, os sabores existem tais como os percebemos, o tempo passa e pode ser medido por relógios e calendários, o espaço é feito de lugares (alto, baixo, perto, longe, frente, atrás) e pode ser percorrido e medido em distâncias, a família é uma realidade natural criada pela Natureza para a sobrevivência da espécie, a raça é uma realidade natural produzida pela diferença de climas e de alimentação, fazendo com que haja raças superiores e inferiores, a mulher é um ser sensível, intuitivo e frágil, destinado à maternidade e à casa [...] Quando o senso comum se cristaliza como modo de pensar e de sentir de uma sociedade, forma o sistema dos preconceitos.”

 

"Common sense is the ever questioned belief that the reality exist such as it is: the colors, the sounds, the flavors exist such as we perceive them, time passes and it can be measured by clocks and calendars, the space is made of places (high, low, near, far, front, back) and can be traveled and measured in distances, the family is a natural reality created by Nature for the survival of the species, the race is a natural reality produced by the different climates and food, enabling the existence of superior and inferior races, women are a sensitive being, intuitive and fragile, destined to maternity and home [...] When common sense is crystallized as a society's way of thinking and feeling, it forms the system of prejudices."

Marilena Chaui
Senso Comum e Transparência

 

 

                       >